Tecnologia e produtividade: entenda a relação nas pequenas empresas

em Tendências.

Tecnologia e produtividade estão intrinsecamente ligadas. Os recursos, os equipamentos, as aplicações e os profissionais de TI são capazes de impulsionar o poder produtivo dos negócios — independentemente do segmento de mercado e do porte da empresa.

No entanto, isso já é senso comum. Neste artigo, resolvemos trazer uma reflexão mais aprofundada sobre o assunto. Continue lendo para entender, de maneira bem prática, como a tecnologia pode tornar o seu negócio ainda mais produtivo e eficiente!

Tecnologia e produtividade são sinônimos desde sempre

Desde que a humanidade entendeu que poderia unir conhecimentos técnicos e científicos para criar ferramentas, ela conseguiu elevar sua produtividade em inúmeros aspectos.

Se voltarmos à Inglaterra de 1760, durante a Revolução Industrial, vemos claramente a inserção da tecnologia nos processos produtivos. O que antes era realizado de maneira artesanal, sem poder de escala, passou a ser transpassado por máquinas e amparado por processos repetitivos.

Dando um salto um pouco maior, quando surgem os mainframes, grandes computadores utilizados por bancos e multinacionais, por volta de 1960, também percebemos a tecnologia como aprimoramento para potencializar a produtividade.

De lá para cá, chegamos à Internet das Coisas e ao Big Data, que facilitam a conectividade, a análise de dados e o ajuste de processos para reduzir custos, aumentar o poder estratégico e potencializar a produção dos empreendimentos.

Se fossemos resumir o porquê do desenvolvimento da tecnologia da informação (TI) no mundo corporativo, não seria errado dizer que ele remete à produtividade. E estamos pensando nos vários meios de ser produtivo em um mundo cada vez mais voltado para o conhecimento como principal insumo de geração de riquezas.

Tecnologia e produtividade nas pequenas empresas

Na virada do século, a novidade foi que os pequenos negócios também passaram a conquistar, manter e aprimorar seu poder tecnológico. Isso abriu portas para potencializarem suas capacidades produtivas por meio da tecnologia.

Desde o surgimento dos computadores pessoais (PCs), por volta de 1986, até a hiperconectividade que temos hoje, a computação em nuvem (cloud computing) foi o movimento tecnológico mais disruptivo para as empresas de menor porte.

Hoje, com orçamentos muito menores que há dez anos, negócios com atuação local ou que ainda estão no início conseguem obter recursos virtualizados para competir de igual para igual com grandes players do mercado.

Em termos de produtividade, a capacidade de integração de processos, a mobilidade, o armazenamento de dados, entre outros aspectos, estão muito mais fáceis de serem realizados.

Automatizar rotinas nunca foi tão simples e barato como é atualmente. Com aplicações que podem ser adquiridas a preços bastante amigáveis e implementadas em minutos, é possível parametrizar rotinas de trabalho e entregar aos usuários funcionalidades que facilitam o dia a dia.

6 provas da ligação entre tecnologia e produtividade nas pequenas empresas

Vamos pensar de uma maneira um pouco mais detalhada a ligação vantajosa entre tecnologia e produtividade? Confira, a seguir, 6 provas de que a tecnologia pode tornar os pequenos negócios mais produtivos e competitivos.

1. Soluções de software integram departamentos e rotinas

Com a ascensão dos softwares na nuvem (software como serviço, SaaS), não é preciso gastar muito dinheiro para ter sistemas que integram as rotinas de todos os departamentos da empresa.

Um sistema de gestão empresarial (ERP), por exemplo, pode ser adquirido com funcionalidades sob medida e utilizado via internet. Isso torna muito mais simples criar sequências lógicas de atividades para que as equipes realizem seus afazeres com mais rapidez e de maneira padronizada.

2. Aplicações e equipamentos automatizam processos

O poder da automatização tem ampliado a produtividade das empresas e facilitado a manutenção da qualidade dos produtos fabricados e dos serviços prestados.

Dessa forma, em vez enviar um relatório via malote para outra filial (ou mesmo via e-mail), basta que a pessoa autorizada tenha a chave de acesso e visualize o documento, em tempo real e de onde estiver.

A automatização, além de acelerar a realização dos processos, também diminui os erros, uma vez que o desencadear das atividades não depende de intervenção humana. Cada tarefa só pode ser realizada quando outra for finalizada.

3. Soluções inteligentes reduzem atividades burocráticas

Da mesma forma, a burocracia, que em certa medida é fundamental para o andamento de uma operação empresarial, não é mais um empecilho.

Com sistemas que podem ser acionados e operados via smartphones — em qualquer hora e local —, é possível, por exemplo, enviar uma nota fiscal à Receita Federal no mesmo momento em que uma venda é fechada.

Sem perder tempo com a burocracia, os profissionais conseguem produzir mais e melhor. Eles, inclusive, se sentem mais satisfeitos com seu dia a dia laboral.

4. Ferramentas de análise de dados tornam o negócio mais estratégico

Com a tecnologia digital em plena evolução, hoje os pequenos negócios conseguem se tornar mais orientados a dados.

Ou seja, conseguem transformar dados próprios (geradas em seus sistemas), e até externos (redes sociais, por exemplo), em informações úteis para tomar decisões amparadas em fatos concretos.

Hoje é impossível pensar uma estratégia de vendas sem coletar dados por meio de ferramentas de e-mail marketing, por exemplo. E esse tipo de solução pode ser adquirido com bastante facilidade por empresas de todos os portes.

5. As quatro paredes dos escritórios não são mais um limite

Quem poderia imaginar que empresas inteiras operariam com colaboradores alocados em diferentes lugares? Quem poderia, há vinte anos, pensar que os profissionais poderiam realizar suas atividades sem sair de casa?

Sistemas baseados na nuvem e dispositivos móveis (tablets, smartphones, notebooks etc.), cada dia mais baratos e fáceis de utilizar, proporcionam mobilidade para que os profissionais trabalhem onde estiverem.

6. Está cada vez mais fácil conhecer e se relacionar com o público-alvo

Antigamente, as empresas precisavam investir muito dinheiro e tempo em pesquisas de mercado para conhecer seus públicos de interesse em profundidade — o que colocava os pequenos negócios em desvantagem.

Agora, com ferramentas de marketing digital e análise de dados, é possível até prever o comportamento dos consumidores diante de produtos ou serviços que ainda nem saíram do papel.

Combinando softwares de CRM, redes sociais e aplicações de captura de informações de leads, é possível se antecipar para criar ofertas sob medida para as pessoas certas. Inclusive, é possível detectar qual o melhor momento e a melhor abordagem para apresentar as ofertas ao mercado.

E então, você já havia pensado em tecnologia e produtividade por esse ângulo? Para não perder nenhuma de nossas publicações, siga nossos perfis no FacebookLinkedInInstagram e YouTube!