O impacto da TI em uma gestão realmente estratégica

em Tendências.

Sua empresa já reconhece o impacto de uma gestão de TI estratégica? Infelizmente, muitas vezes essa área é vista apenas como uma oficina de computadores dentro da empresa, ou seja, um setor operacional sem grande valor na gestão estratégica.

Porém, com as grandes mudanças na área e no cenário geral do mercado, esse paradigma já está caindo por terra. Cada vez mais a tecnologia da informação tem sido um fator-chave para aumentar a competitividade da empresa, mesmo que esse não seja seu core business. Entender tal mudança é fundamental para melhorar o desempenho do produto no mercado e elevar a qualidade da sua gestão estratégica.

Claro, falar é a parte fácil. Muitas empresas, pela falta de experiência ou de conhecimento na área, não sabem como tirar esse conceito do papel e colocá-lo em prática. Mesmo que se comprometam com a expansão do negócio, ainda precisam dedicar boa parte de seu orçamento apenas à manutenção de tarefas operacionais de TI. E uma atuação estratégica eficiente é o primeiro passo para mudar esse quadro.

No post de hoje, vamos entender melhor como as atividades de TI se transformam em estratégia para que todas as ações contribuam com as melhorias da sua empresa como um todo. Acompanhe!

Qual é o impacto da gestão de TI estratégica?

Aumento na eficiência de várias tarefas

Em muitos aspectos, a tecnologia é uma ferramenta de automação. Mesmo como parte de uma gestão estratégica, o setor de TI ainda é responsável por agilizar tarefas operacionais que levariam muito mais tempo nas mãos de um ser humano. Em parte, é isso que lhe confere seu antigo estigma.

Mas se engana quem acredita que isso seja um problema em si. Agilização e automação de processos são tarefas necessárias e muito importantes para o melhor funcionamento da empresa. A questão é como essa necessidade é abordada tanto pelos profissionais de TI quanto pelos gestores da companhia e dos demais setores.

É possível promover uma gestão estratégica mesmo com tarefas secundárias ao core business da organização. De fato, negócios bem-sucedidos não fazem distinção ou juízo de valor entre um e outro. Um controle mais eficiente dos servidores e sistemas de gestão, por exemplo, facilita a atuação do setor de vendas e de marketing.

Grandes mudanças da era digital

Um dos fatores que mais contribuíram para o destaque da tecnologia da informação como setor estratégico da empresa foi a chegada da era digital. A capacidade de comunicação em tempo real com qualquer pessoa do mundo mudou completamente a forma como cada marca se relaciona com o seu público. Muitos empresários viram essas transformações se aproximando e se anteciparam.

A ideia de gestão estratégica na área de TI ganha muito mais força quando se percebe a quantidade de informações que precisam ser administradas. É possível extrair dados sobre perfis geográficos, preferência dos consumidores, opiniões sobre sua empresa, entre muitos outros, por meio da tecnologia digital. A análise de dados, por exemplo, pode ser automatizada para agilizar o trabalho de outros setores.

Como mencionamos, a forma como marca e público interagem também mudou bastante com esses novos recursos. Receber passivamente as informações sobre o produto não é mais suficiente para os compradores: eles precisam interagir diretamente com a empresa. E uma gestão estratégica de TI pode gerar ótimos recursos para promover essa interatividade.

Profissionais do setor de Tecnologia da Informação geralmente apresentam melhor capacidade para criar ferramentas e portais de comunicação com a empresa. Coordenar esse canal exige um esforço conjunto de vários setores, todos dependentes da atuação operacional e estratégica de TI.

Suporte para os demais setores

Você já deve ter notado o quanto o trabalho da área de tecnologia da informação afeta a produtividade nos outros setores da empresa. O departamento de vendas precisa de ferramentas de contato. O marketing necessita dos dados coletados pelos portais de comunicação da empresa. A alta gestão demanda um sistema integrado, que organize todos os dados das outras camadas da empresa.

A gestão estratégica desses elementos afeta diretamente o resto dos setores e a forma como eles trabalham, o que influencia a qualidade do serviço final. Por exemplo, um gestor de TI que busque melhorar a qualidade do seu trabalho pode concluir que o software de gestão da empresa precisa ser atualizado, ou que o negócio necessita de um servidor físico próprio para melhorar a produtividade interna. A partir de sua posição, ele pode controlar os recursos disponíveis com muito mais facilidade.

Alinhamento na gestão estratégica é a chave

O grande alicerce para tornar o setor de TI uma área estratégica dentro da empresa é o seu alinhamento com os demais setores e dentro de sua própria equipe. Alguns negócios ainda seguem um modelo mais isolado de condução de trabalho, em que cada área administra seus recursos separadamente. Partindo de certa lógica, isso promove mais autonomia para cada setor, mas também impede sua coordenação adequada.

Porém, isso não é uma opção viável para alguém que busque uma gestão estratégica de TI. É absolutamente necessário que as partes se comuniquem para que o gestor entenda o que precisa ser aprimorado e como ele pode poupar custos desnecessários. No fim das contas, a troca e a coordenação entre as áreas da empresa apenas aumentam a autonomia de todos.

Valor e inovação para o serviço

Por fim, é sempre bom lembrar como os recursos da tecnologia podem agregar valor extra ao produto ou ao serviço da empresa. Com um sistema bem desenvolvido, é possível oferecer opções personalizadas para seus clientes, reduzir o tempo de espera, eliminar a necessidade de papéis impressos e facilitar a resolução de dúvidas.

Inovação é um dos pontos centrais da melhor gestão estratégica de TI. Muitas startups, cujo core business é a tecnologia, ganharam o mercado ao oferecer algum serviço novo, que supria uma necessidade diferente. Você também pode promover esse tipo de inovação tecnológica na sua empresa. Basta identificar alguma demanda que ainda não seja atendida e focar sua atenção nela. E com os recursos da área de TI, encontrar isso não deve ser problema.

Como tornar o setor de TI mais estratégico?

Tenha um conhecimento aprofundado sobre o seu negócio

Existem diversas tecnologias disponíveis no mercado. Ao mesmo tempo, elas prometem soluções muito semelhantes, e alguns fornecedores empacotam ferramentas iguais para diferentes negócios. Isso pode trazer problemas para a empresa.

Cada companhia tem suas peculiaridades. Distinguem-se no tipo de público, colaboradores, processos, mercado, produtos, missão e cultura organizacional. Assim, é preciso entender profundamente o negócio e detectar quais são suas necessidades. Afinal, uma solução que serviu para uma empresa pode não servir para outra de forma equivalente, ainda que sejam do mesmo segmento.

Antes de apresentar uma solução, a equipe de TI precisa investigar o negócio. Ao mesmo tempo, a empresa deve deixar claro o que realmente deseja dos recursos.

Mantenha o foco nos resultados do negócio

A implementação de tecnologias precisa ter um foco muito claro. Novas ferramentas surgem a todo momento, e certamente há pressão de fornecedores para testar outros sistemas. Muitas vezes ocorre também a dispersão do time de TI em atividades que não estão relacionadas ao que é prioritário.

Por isso, tente associar as decisões das ações de TI ao que de fato trará resultados para a empresa. Onde isso não ficar muito claro, pode ser que haja a necessidade de aperfeiçoar a ferramenta, adiar sua implementação ou simplesmente não usá-la

É importante lembrar que a gestão de TI estratégica é aquela que traz resultados. Esse deve ser o foco.

Implemente novas tecnologias com base na demanda dos outros setores

A tecnologia precisa vir para atender uma demanda ou necessidade. A adoção de uma ferramenta com excesso de funcionalidades que não fazem sentido para o negócio tende a complicar as coisas.

Assim, para uma gestão estratégica, é importante que a equipe de TI e os gestores estejam atentos ao que ocorre nos demais setores. A TI não pode se restringir a uma sala que cuida dos computadores e sistemas da empresa, sem estar conectada ao resto da companhia.

A tecnologia está presente em todos os departamentos. Afinal, qualquer colaborador precisa de acesso à internet, ferramentas eletrônicas, aplicativos e softwares para cumprir suas tarefas. Então, é importante reunir os gestores de outros setores para entender quais são as suas demandas específicas.

A partir daí é possível listar as prioridades e incluir isso no planejamento estratégico de TI. Dessa forma, esse setor conseguirá dar o suporte necessário às demais áreas da empresa.

Faça um planejamento em longo prazo

Ao implementar novas tecnologias e alinhar a equipe de TI às expectativas do negócio, o gestor não pode limitar sua visão a objetivos de curto ou médio prazos. É importante pensar também nos anos à frente, em quais serão os próximos passos.

Por isso, não é recomendável focar em produtos, mas sim nos negócios. Por exemplo, conhecemos muitos itens que ficaram obsoletos com o tempo em virtude do surgimento de novas tecnologias. Isso se deu com filmes de câmeras fotográficas, fitas VHS e até mesmo, mais recentemente, CDs de música.

Evoluções continuarão acontecendo, e a empresa precisa estar preparada para isso. Por isso, as decisões de TI devem levar isso em conta. Por exemplo, implementar soluções fechadas e pouco flexíveis pode reduzir o seu prazo de validade. Por outro lado, utilizar tecnologias escaláveis, tanto em relação ao poder de processamento quanto à capacidade de armazenamento — como ocorre com o cloud computing— pode garantir que o sistema não se torne obsoleto dentro de poucos anos.

Projete o orçamento de modo realista

O orçamento é sempre uma grande preocupação quando o assunto é investimento em tecnologias. Muitos desses produtos têm seu valor cotado em dólar, apresentam um ciclo de vida mais reduzido e estão sujeitos a muitas atualizações em pouco tempo.

Por esse motivo, o investimento precisa ser bem planejado e estar adequado à realidade orçamentária do negócio. Não se pode sugerir soluções extravagantes para empresas que não destinam uma fatia suficiente para o setor.

Sendo assim, avalie quais são as ferramentas e os equipamentos que realmente serão importantes para o negócio ao longo do ano e defina prioridades. Também é possível buscar alternativas de marcas mais acessíveis, mas que ao mesmo tempo sejam vantajosos financeiramente, ou softwares open source que atendam às necessidades.

No entanto, sabemos que nem sempre é fácil justificar os investimentos em TI. Contar com métricas específicas e claras é muito útil nesse momento, como veremos a seguir.

Defina métricas no planejamento estratégico

Métricas são ferramentas de gestão importantes para qualquer tipo de projeto. Elas revelam informações essenciais que servirão de base para a tomada de decisões. Por exemplo, alguns indicadores podem auxiliar os gestores a descobrir qual o retorno sobre o investimento de determinada implementação, até que ponto a produtividade aumentará ou quanto haverá de redução de custos.

Com isso, você vai saber mais facilmente se sua estratégia de TI está caminhando rumo ao sucesso do negócio. No entanto, para que essa definição de métricas seja realmente eficiente, é fundamental estabelecer um objetivo para cada processo em TI.

Por exemplo, se problemas na comunicação entre os setores da empresa fazem a experiência do cliente ficar comprometida, defina processos que possam reduzir essa falha e estabeleça um objetivo para cada um deles com base em números concretos, para que mais tarde sejam avaliados e aprimorados.

Conte com profissionais qualificados

Ter profissionais de TI qualificados não é fácil. Por isso, também é preciso planejar essa contratação. Defina que competências e habilidades você deseja encontrar nesses colaboradores. Avalie quais dessas skills já são encontradas em sua equipe e então procure suprir as deficiências.

Em alguns casos, pode ser viável buscar parceiros de outsourcing de TI para cuidar das tarefas operacionais do setor, ao passo que o restante do time se concentra no seu core business. A grande vantagem dessa estratégia é contar com profissionais especializados com disponibilidade 24/7.

Não há dúvidas de que o setor de TI ocupa uma posição cada vez mais estratégica nas organizações, principalmente com a constante transformação digital vista hoje ao nosso redor. Desenvolver uma gestão de TI estratégica trará a empresa vantagem competitiva e contribuirá para o sucesso dos negócios.

Quer saber mais sobre as soluções da Locaweb Corp? Acesse nosso site!.