Mitigação de riscos em TI: passo a passo para uma estratégia eficiente

em Tendências.

A política de mitigação de riscos em TI tem um papel-chave na manutenção de uma infraestrutura de serviços, softwares e páginas web de alta performance. Ela é utilizada por gestores da área de tecnologia da informação como uma forma de avaliar possíveis problemas que possam afetar a rotina do negócio e, desse modo, ter sempre um caminho para solucioná-los antes que resultem em grandes prejuízos para a empresa.

Isso permite que vendas em sites de e-commerce, operações de projetos internos e demais fatores que afetam a lucratividade sejam pouco atingidos por imprevistos.

Se você quer investir nessa estratégia mas ainda não sabe por onde começar, veja abaixo a nossa lista com 6 sugestões de uso de tal política!

Garanta que todos os profissionais utilizem as mesmas práticas de segurança

Assim como outros sistemas de segurança digital, a mitigação de riscos em TI só é plenamente funcional quando todos os profissionais da área utilizam as recomendações de proteção definidas pela empresa. Se um dos usuários da infraestrutura de tecnologia da informação e de serviços digitais da empresa não adotar as medidas necessárias para evitar problemas, a sua conta pode ser comprometida e afetar os demais.

Treine cada um dos colaboradores para que mantenham uma rotina eficaz, sempre baseada em boas práticas. Disponibilize canais em que seja possível consultar em tempo hábil os métodos definidos pela empresa para diminuir os perigos. Assim, a política de redução de riscos terá um impacto positivo no dia a dia do negócio.

Classifique os seus riscos de acordo com o impacto que eles podem causar

No planejamento dos riscos de TI, o gestor precisa avaliar como cada falha ou problema atrapalha a rotina e as atividades cotidianas da empresa. O rastreamento de perigos auxilia o empreendimento a conhecer seus pontos fracos que necessitam de maior atenção.

Tente classificar os riscos conforme o impacto que eles podem provocar nas operações da empresa. A indisponibilidade da página de e-commerce de um negócio online, por exemplo, tem uma repercussão muito maior nas receitas do empreendimento do que um erro ao gerar um backup. Sabendo desses detalhes, a política de mitigação de riscos é planejada mais eficientemente.

Elabore medidas para eliminar perigos antes que eles ocorram

Alguns perigos devem ser cortados antes mesmo de acontecerem. Ao levantar dados sobre os problemas que podem afetar a empresa, avalie quais são os que devem ser eliminados previamente, para que não se tornem um fator de preocupação para o empreendimento.

Um exemplo está no uso de softwares não aualizados. Muitas vezes, gestores acabam não efetuando a atualização do CRM de um site, por exemplo. Isso expõe o negócio a ameaças, uma vez que vulnerabilidades não corrigidas podem ser exploradas por terceiros a fim de roubar dados confidenciais.

Se a empresa identificar fatores que podem ser eliminados, providências devem ser tomadas o quanto antes. Em outras palavras, a política de mitigação de riscos em TI não deve ser vista só como uma forma de preparar o empreendimento para enfrentar problemas com precisão, mas também de solucioná-los o mais rápido possível.

Molde a infraestrutura de TI para que ela continue funcionando mesmo após falhas

A maneira como a estrutura de TI é constituída tem uma relação direta com o desempenho dos serviços que serão utilizados. Para a criação e manutenção de uma página web, por exemplo, a empresa deve avaliar o número de ameaças que sofre, além de  identificar o perfil de uso de seus visitantes e das principais funções da aplicação. Isso inclui problemas como indisponibilidade de um sistema na internet, ataques do tipo DDoS e erros ao criar backups de dados.

Com essas informações em mãos, a empresa deve definir mecanismos para que a política de mitigação de riscos seja eficaz. Serão delimitadas medidas que, em conjunto, facilitam a criação de um ambiente de trabalho seguro, com soluções tecnológicas confiáveis, de alta performance e capazes de eliminar ataques rapidamente.

Teste as medidas de correção de falhas

O plano de mitigação de riscos em TI só é eficaz na medida em que consegue orientar os profissionais para que encontrem soluções aos desafios diários do setor, sempre com rapidez e segurança. Portanto, as regras definidas devem ser examinadas regularmente.

A estratégia indicada é avaliar se a documentação existente é suficiente para orientar todos os funcionários da equipe a mitigar rapidamente tentativas de invasão de um site, por exemplo. Assim, a empresa identifica a melhor maneira de responder a malwares e outros processos que poderiam colocar os negócios em risco.

Documente todas as rotinas de segurança

Ao definir as políticas para eliminar riscos, é recomendado que o setor de TI documente todas as etapas desse processo: do levantamento de riscos às recomendações necessárias para solucionar os possíveis problemas. Tudo deve ser registrado e mantido em um local que seja acessível para todos os profissionais responsáveis pelas medidas de correção de erros.

Tenha em mente que o plano de mitigação de riscos é um fator estratégico para as políticas de gestão e governança de TI. Desse modo, sempre que alguém tiver uma dúvida ou precisar avaliar a melhor forma de executar um procedimento corretivo, haverá um documento de referência para orientar as ações a serem tomadas. Esse passo a passo melhora a estrutura organizacional, proporciona uma agilidade na tomada de decisão e minimiza as chances de erros.

Gestores da área de Tecnologia da Informação devem sempre atuar de forma estratégica para solucionar problemas. Política de backup, monitoramento de recursos, recuperação de desastres e outras ações implementadas podem ser eficientes e garantir que isso ocorra da melhor forma possível. Mas, para que toda a infraestrutura de serviços digitais do negócio tenha um desempenho de ponta, elas precisam ser mescladas às políticas de mitigação de riscos em TI.

Se você quer saber como isso pode ser feito a partir das últimas tendências digitais do mercado, siga os nossos perfis no Facebook, no YouTube, no LinkedIn e no Instagram. Lá você encontrará várias dicas e as nossas principais novidades!