ERP na nuvem: 7 benefícios de utilizar no seu negócio

em Tendências.

Atualmente, o ERP é a ferramenta de modernização empresarial mais importante utilizada por organizações de todos os ramos e portes para padronizar procedimentos, unificar informações, automatizar processos e dar maior dinamismo ao fluxo dos negócios.

Embora sua versão local (em desuso) já trouxesse parte desses benefícios às empresas, foi o ERP na nuvem que consagrou essa tecnologia, dando mais elasticidade ao negócio, disponibilidade infinita de recursos, além da facilitação de atividades remotas.

Com menor exigência de suporte tecnológico e muito mais confiabilidade, o ERP na nuvem se transformou em um investimento crítico para dar vantagem competitiva às empresas de todos os segmentos.

Hoje apresentaremos 7 razões que explicam por que você precisa adotar um sistema de gestão virtualizado urgentemente em sua organização. Confira!

1. Agilidade

ERP na nuvem é sinônimo de velocidade no acesso aos dados corporativos. E em uma era de extrema competitividade, alguns minutos podem ser o limiar entre fechar um grande negócio e encarar a estagnação.

Se um representante comercial consegue ter o catálogo de sua empresa na palma da mão, as chances de sucesso são consideravelmente maiores. Se os dados do uso de serviços podem ser vistos 24 horas a partir do smartphone dos gestores de marketing, ações real time podem ser lançadas com muito mais impacto sobre o consumidor.

Para que esse cenário futurístico seja materializado, é preciso, primeiramente, ter um ERP em nuvem para agregar dados e conferir velocidade de acesso em qualquer lugar e horário.

2. Custos reduzidos

Um ERP na nuvem traz redução de recursos em diversos âmbitos da dinâmica empresarial. Para começar, um sistema local exige investimento em servidores, espaço físico para alocação dos equipamentos, licenças de softwares, manutenção, treinamento e atualizações.

As soluções de gestão virtualizadas substituem todas essas despesas em nome do pagamento de uma espécie de mensalidade (Software como Serviço, ou SaaS), de forma que você paga pela disponibilização da solução na medida e na forma estrita de suas necessidades. Monitoramento, manutenção e infraestrutura de TI ficam totalmente a cargo do fornecedor.

Mas há ainda outras perspectivas de economia de recursos com o uso do ERP em nuvem, como no caso da possibilidade de fomento ao BYOD (Bring Your Own Device), política de estímulo ao uso dos próprios gadgets pessoais (no ambiente interno empresarial) para acesso aos sistemas corporativos. Isso significa redução brusca de recursos com computadores e periféricos, por exemplo.

Por fim, vale a pena lembrar que o ERP em nuvem facilita também o home office, cuja economia se dá de forma indireta, com o menor custo do trabalhador em relação à sua produção — que costuma ser sensivelmente maior no trabalho remoto.

3. Segurança das informações

ERP na nuvem também é sinônimo de segurança, virtude fundamental às empresas que desejam se manter vivas no longo prazo, especialmente em uma era em que o uso da tecnologia nas organizações deixou de ser luxo para se tornar uma questão de sobrevivência no mercado.

À medida que seus concorrentes expandem seu raio de ação para milhões de quilômetros além de sua sede (por meio do e-commerce), não há como permanecer vendendo apenas fisicamente. Além disso, conforme a prestação de obrigações ao Fisco é inteiramente digitalizada, não há como se manter preenchendo livro-razão e salvando balancetes no Excel.

Mais do que isso, ao passo que a análise de dados se torna centro da inteligência empresarial, não há como acreditar que sua organização será capaz de antever uma tendência sem gestão de dados de excelência.

Todas essas novas demandas, aliadas a um consumidor cada vez mais omnichannel, fizeram com que quase todos os rastros corporativos passassem a ser trafegados por sistemas computacionais: em 2015, 2,5 quintilhões de bytes já eram produzidos diariamente no mundo.

É evidente que essa transferência do mundo físico para o digital foi seguida de um aumento brutal nos casos de cibercrime. E as maiores afetadas, por incrível que pareça, são as micro e pequenas empresas — por sua maior vulnerabilidade.

Um levantamento recente divulgado pela Olhar Digital revelou que 22% das organizações atingidas por ransomware fecham as portas após o primeiro ataque. Em uma ação de sequestro de dados armazenados em HDs, quem tem um ERP local acaba arcando com prejuízos ilimitados, com perda ou alteração de informações — muitas delas, cruciais à companhia.

Em um ERP na nuvem, todos os dados da organização são alocados em servidores remotos, com backups automáticos, acesso mediante camadas adicionais de segurança (como autenticação de dois fatores) e criptografia avançada. Quanto vale seu esforço até aqui para fazer sua empresa permanecer de portas abertas? Por que deixar seu maior ativo (os dados) à mercê da sorte?

4. Escalabilidade

Conhecer o grau de escalabilidade de uma empresa é saber o quão longe ela pode ir. E uma das dores mais comuns das PMEs ocorre nas fases iniciais de expansão, quando sistemas legados passam a ser remendados com novas aplicações, culminando em sucessivos episódios de indisponibilidade, elevação das taxas de churn e conflitos internos de comunicação. É o barato que saiu caro.

Muitas empresas preferem empurrar para o futuro a solução de dilemas inescapáveis, como acontece ao implementar um ERP local apenas para suportar a situação enquanto a companhia ainda engatinha. O problema é que, se o negócio crescer, será necessário fazer investimentos para adaptar a organização às novas demandas.

Por que não implementar um ERP na nuvem, que tem escalabilidade e flexibilidade para se moldar à empresa na medida exata de suas necessidades?

5. Acesso remoto (mobilidade)

Um ERP na nuvem impacta a organização em todas as suas nuances: organizacional, tecnológica e até mesmo cultural. Essas soluções são sistemas modernos que unificam todo o fluxo de informações corporativas, da produção à contabilidade, registrando cada fato novo na engrenagem empresarial e disseminando os dados mais importantes da companhia de forma clara, segura, em tempo real e a partir de qualquer local com acesso à internet.

A grande razão de ter um ERP é melhorar os processos de negócios, permitindo, por exemplo, que o setor de marketing tenha acesso aos dados de venda para balizar suas próximas ações publicitárias. E, até mesmo, facilitando a importação de dados financeiros para o módulo contábil do sistema, eliminando, assim, a necessidade de longos preenchimentos manuais de formulários.

Ou, por fim, possibilitando que gestores que estejam em diferentes partes do mundo possam fazer uma webconferência tendo em mãos os mesmos dados (já que a empresa digital está em todos os lugares simultaneamente).

6. Controle das informações

Imagine que um diretor comercial embarque em uma viagem internacional para negociar com novos fornecedores. Ele ficará completamente alienado do que ocorre na organização nesse ínterim? E um CEO que precise buscar novos clientes e que tenha que levar centenas de documentos demonstrativos, dado que sua empresa só existe dentro de seus próprios muros?

Uma organização dotada de um ERP na nuvem é mais fácil de ser gerenciada, além de proporcionar aos gestores maior controle das informações.

7. Trabalho com análise de dados

Estamos vivendo uma era de transformação digital, em que micro sensores começam a ser implantados em linhas de montagem, a fim de que cada ferramenta na esteira saiba o torque exato de cada peça; um mundo de drones que sobrevoam plantações no intuito de enviar dados a um centro de controle, o qual é capaz de identificar quais áreas necessitam de tratamento especial ou maior uso de defensivos.

Como sobreviver em uma dinâmica como essa sem ter dados centralizados? Um mercado em que campanhas publicitárias personalizadas são lançadas de acordo com a reação imediata de cada cliente exige gestão de dados de excelência e que, evidentemente, deve ser controlada em nuvem, dando mobilidade, velocidade e segurança para o trabalho com Analytics.

Se você sonha em ver sua empresa ganhando vantagem competitiva com uso de Internet das Coisas, Big Data e computação cognitiva, o primeiro passo é adotar um ERP em nuvem.

A Locaweb Corp oferece uma solução completa, que vai desde o dimensionamento, migração, até o gerenciamento total do ERP, possibilitando a redução de custos com energia, no-breaks e refrigeração que seriam necessárias para manter um Data Center local, e proporcionando mais mobilidade aos negócios, podendo acessar o sistema de qualquer lugar e a qualquer momento com segurança de informações (sustentada por firewalls, sistemas de prevenção de intrusão, backup offsite e certificações de segurança.

Se você quer conhecer um pouco mais

Já assinou nossa newsletter? Então assine agora mesmo para receber em seu e-mail, gratuitamente, dicas e conteúdos exclusivos sobre transformação digital, cloud computing, cultura de inovação, ERP na nuvem e muito mais!