4ª Revolução Industrial: quais impactos ela traz para as empresas?

em Tendências.

Você já ouviu falar em disrupção? O termo é definido como “quebra do curso normal de um processo” pelo Dicionário Michaelis Online. A questão é: como isso ocorre? O maior exemplo é a 4ª Revolução Industrial.

A também chamada de Indústria 4.0 promete mudar o cenário em que vivemos — e acredite: já realiza o esperado. Com impactos nas empresas e em toda a sociedade, as transformações digitais proporcionadas por essa nova revolução surgem rapidamente e em larga escala.

Porém, o que essa mudança tecnológica representa para sua empresa? Essa é a pergunta a que responderemos neste post, a partir do conceito de Indústria 4.0 e da transformação que ela tem causado na sociedade e nas empresas e das tecnologias envolvidas nesse processo. Acompanhe!

O que é a 4ª Revolução Industrial?

A Indústria 4.0 tem por prerrogativa integrar informações para automatizar funções e mudar a maneira como as pessoas se comunicam e vivem. É uma progressão natural da Era da Informação, com a diferença que o mundo se torna mais conectado e inteligente.

O principal aspecto dessa revolução industrial é a inovação, que se manifesta por meio de novas tecnologias. Com a fusão desses recursos, há a eliminação das barreiras entre os mundos biológico, físico e digital. Portanto, ela é mais ampla que um progresso digital.

Os três fatores de diferenciação da Indústria 4.0 são:

  • velocidade: o mundo está conectado e a evolução é bastante rápida;
  • alcance: a convergência de tecnologia possibilita o surgimento de novas formas de viver, o que altera o conceito de ser humano;
  • impacto em sistemas interconectados: os avanços vivenciados transformam a sociedade e os países.

Histórico da 4ª Revolução Industrial

O fundador do Fórum Econômico Mundial, Klaus Schwab, relata que a Indústria 4.0 é bastante ampla e transforma tudo o que conhecemos hoje:

Estamos a bordo de uma revolução tecnológica que transformará fundamentalmente a forma como vivemos, trabalhamos e nos relacionamos. Em sua escala, alcance e complexidade, a transformação será diferente de qualquer coisa que o ser humano tenha experimentado antes.

Apesar disso, o mundo já passou por outras três transformações disruptivas. A primeira delas foi protagonizada pelo vapor, o que implementou a Era da Produção Mecanizada. Ela ocorreu em 1760, aproximadamente, e incentivou a fabricação têxtil e a mecanização da agricultura.

A 2ª Revolução Industrial foi a da eletricidade, isto é, a Era da Ciência e da Produção em Massa. Ocorrida em meados de 1800, iniciou um período de grandes invenções, como o motor a gasolina, os fertilizantes químicos, o rádio e a energia elétrica. Um marco foi a linha de montagem da Ford no carro Modelo T.

Por fim, a 3ª Revolução Industrial foi a digital, que já citamos. Ela teve início em meados de 1950 a partir do desenvolvimento da microeletrônica e dos mainframes e abriu os primeiros debates sobre inteligência artificial.

Nesse momento, começou a ser impulsionada a transformação digital devido à busca por novos modelos de negócio, melhoria dos processos operacionais e integração da experiência do cliente por meio dos recursos tecnológicos. É importante destacar que, no Brasil, muitas companhias ainda estão na 2ª Revolução Industrial e o País tem um caminho longo a seguir.

Como a Indústria 4.0 transforma a sociedade?

As revoluções industriais são efetivadas sempre que suas tecnologias se tornam baratas e, então, podem ser difundidas e escaladas. Essa característica já evidencia que toda a sociedade é afetada por essas transformações. Especificamente em relação à indústria 4.0, a tecnologia fica ao alcance de todos — e isso leva a uma mudança significativa de comportamento de consumo.

Atualmente, os consumidores direcionam suas atenções para a personalização e em ter as informações à sua disposição. A expectativa é que, até 2025, existam alguns pontos de virada, conforme a previsão do Fórum Econômico Mundial em dados divulgados pelo blog da Salesforce:

  • criação do primeiro robô farmacêutico nos Estados Unidos;
  • uso de roupas conectadas com a internet por, pelo menos, 10% das pessoas;
  • lançamento do primeiro veículo criado em impressora 3D;
  • fabricação de, pelo menos, 50% dos produtos de consumo em impressoras 3D;
  • acesso constante à internet por, no mínimo, 90% da população mundial;
  • representação de 10% da frota de veículos sendo de carros autônomos;
  • direcionamento de 50% do tráfego de internet para dispositivos e equipamentos domésticos;
  • implementação da primeira cidade com mais de 50 mil habitantes sem semáforo;
  • instauração da primeira inteligência artificial em um conselho empresarial.

Esses pontos evidenciam que toda a sociedade será transformada, desde o modo de se vestir, até o entretenimento e as formas de trabalho. Isso deve melhorar a qualidade de vida de modo geral. Aliás, a atuação dos profissionais deve ser cada vez mais estratégica, já que o operacional tende a ser automatizado.

Quais são os impactos da 4ª Revolução Industrial nas empresas?

A expectativa é que os países mais desenvolvidos absorvam as transformações com mais facilidade. Porém, as nações emergentes, como o Brasil, também vão se beneficiar. O esperado é que os computadores sejam cada vez mais inteligentes e rápidos — por isso, há o receio de que muitas profissões deixem de existir.

Realmente, isso deve acontecer. As tarefas operacionais, como as de linha de produção, serão automatizadas e isso reduzirá a necessidade de mão de obra humana. Por isso, há uma previsão de que sejam eliminados sete milhões de empregos industriais até 2020 nos 15 países mais desenvolvidos.

Além dessa mudança no mercado de trabalho, há alguns motivos que demonstram por quê a indústria 4.0 é tão importante. Veja quais são eles!

Atendimento a novas demandas

As necessidades atuais dos consumidores ensejaram a nova revolução industrial, já que há uma busca maior por personalização, praticidade e respostas rápidas. Essas demandas não são atendidas pelos métodos clássicos de produção e, por isso, é preciso criar modelos de negócio diferenciados.

Gestão embasada em dados

O recurso principal da indústria 4.0, junto à tecnologia, são os dados. Apesar de serem intangíveis, eles permitem alcançar a informação e gerar conhecimento, a mercadoria de maior valor agregado no mundo atual. Com isso, há um melhor aproveitamento dos recursos disponíveis e a possibilidade de produzir mais em menos tempo.

Aprendizado de máquinas

O aprendizado permitido pelas inteligências artificiais — proporcionado por tecnologias como Big Data, computação em nuvem, Internet das Coisas e o próprio machine learning — permite encontrar outros padrões de atuação a partir de testes.

Todos esses vieses podem ser resumidos em quatro pontos principais:

  • expectativas dos clientes;
  • aperfeiçoamento de produto;
  • inovação colaborativa;
  • formas organizacionais.

Os clientes se tornam o centro da economia e os produtos podem ser aprimorados para agregarem mais valor. Os ativos são mais resilientes e a análise de dados transforma a maneira que as informações são mantidas. Tudo isso exige a criação de modelos de negócios ainda inexistentes, assim como a revisão das formas de organização.

Quais tecnologias já estão envolvidas nesse processo?

As ferramentas disponíveis já estão implementadas, mas ainda tendem a evoluir. Muitas outras também devem surgir ao longo do processo. Por isso, vamos citar, a seguir, as principais tecnologias envolvidas agora na indústria 4.0. Confira!

Internet das Coisas (IoT)

A ideia é conectar máquina a máquina por meio da internet. Com isso, diferentes objetos compartilham informações e dados para finalizar tarefas. Todo esse processo é facilitado por dispositivos e sensores, que fomentam a comunicação.

Um exemplo simples da IoT é o ajuste automático da temperatura da casa com o termostato identificando as condições meteorológicas atuais.

Cloud computing

computação em nuvem prevê um ambiente virtual em que sistemas, dados, arquivos e informações são armazenados e podem ser acessados a partir de qualquer dispositivo com internet. Isso cria um banco de dados virtual que facilita a mobilidade corporativa e as tomadas de decisão.

Big Data e Big Data Analytics

Essa tecnologia determina o grande volume de dados estruturados e não estruturados gerados diariamente pelas organizações. Por meio dessa ferramenta, é possível coletar e armazenar as informações para tomar decisões estratégicas para o negócio.

Além dessas tecnologias, existem outras, como a manufatura aditiva (em que a impressora 3D é utilizada) e a realidade aumentada (que incentiva e facilita os processos das fábricas inteligentes). De toda forma, fica claro que as empresas sofrem grandes impactos com a 4ª Revolução Industrial — e você precisa estar preparado para esse novo cenário.

Para se preparar, além de estar atento às informações que passamos neste post, você também precisa conhecer melhor as tecnologias implementadas. Por isso, mais um pouco sobre  cloud computing pública, privada ou híbrida!