Quais as diferenças entre data center e cloud computing? Descubra!

em Soluções.

Esses dois termos são muito utilizados, mas muitas vezes é difícil entender suas diferenças. Compreender o que caracteriza data center e cloud computing pode ser um desafio, porque ambos trabalham com o armazenamento de informações. No entanto, as similaridades param por aí.

O data center é uma solução mais tradicional. Está no mercado desde 1990 e ainda é utilizado por alguns empreendimentos de grande porte. Já a computação em nuvem é um formato mais recente, inovador e que simplificou os processos, especialmente para empresas de pequeno e médio portes. Por isso, é a tendência atual.

Para entender melhor o que diferencia esses dois padrões, neste post explicaremos cada um deles e também suas vantagens, de acordo com os principais requisitos para o seu negócio. Vamos lá?

O data center

Esse modelo tradicional consiste em um ou mais servidores internos ou externos à empresa que funcionam 24 horas por dia para armazenar os dados organizacionais. Por isso, requer uma infraestrutura de TI maior, com uma equipe qualificada para fazer a manutenção e empregar cuidados referentes à temperatura, à umidade e à segurança das informações.

Na prática, o que ocorre é que a empresa hospeda seus dados em um local único e cuida de todo o gerenciamento — ou faz a terceirização do serviço. Devido a essa peculiaridade, o uso desse modelo implica mais custos para a compra de equipamentos e ajustes futuros, como é o caso de um upgrade dos servidores.

Data center virtual

A evolução do conceito de que estamos tratando é o data center virtual, ou seja, um centro de processamento de dados na nuvem. Isso ocorre pelo advento do formato Infrastructure as a Service (IaaS), ou infraestrutura como serviço. Nesse caso, a estrutura tecnológica é colocada à disposição da empresa, mas é contratada como serviço.

Dessa forma, inexiste a necessidade de manter hardwares, bem como de instalá-los e fazer sua manutenção. Essa característica também facilita alterações de configuração e evita a obsolescência dos equipamentos, já que os recursos são contratados conforme a demanda. Em outras palavras, é assegurada a escalabilidade.

O cloud computing

Por sua vez, a computação em nuvem atua com a ideia de independência geográfica, isto é, o armazenamento dos dados é feito em diferentes locais, que replicam as informações para diversos servidores espalhados pelo mundo. Esse é, aliás, o conceito de nuvem, que representa essa abstração e ausência de lugar específico.

Devido a essa característica, os dados se mantêm mais seguros, já que diferentes cópias são armazenadas. Essa tecnologia também permite que as empresas desafoguem suas infraestruturas, já que o servidor deixa de ficar fisicamente localizado no data center da companhia.

O servidor, na realidade, continua existindo e tem as mesmas funcionalidades, mas é virtual. Isso implica despreocupação com hardware e situações derivadas de compra e manutenção, porque todos esses aspectos são gerenciados pelo provedor, que garante escalabilidade e dinamicidade.

É importante destacar que o cloud computing é diferente do data center virtual. Nesse caso, a computação é um dos elementos do centro de processamento de dados virtual, que oferece toda a infraestrutura por IaaS.

As vantagens do data center e do cloud computing

As diferenças entre essas duas tecnologias já ficaram bem claras, mas é preciso compreender quais benefícios cada uma delas oferece. Entenda a partir dos tópicos destacados abaixo.

Segurança

O armazenamento de dados requer ampla segurança por parte dos servidores, independentemente de serem físicos ou virtuais. No caso do data center, é a própria empresa que precisa fornecer os mecanismos de proteção e implantar políticas de acesso, que impeçam o ingresso de pessoas sem autorização.

No cloud computing existem outros aspectos. Um deles é o fato de os arquivos terem várias cópias hospedadas em diferentes servidores. Ou seja, mesmo que um deles apresente problemas, a versão mais recente do documento é automaticamente recuperada.

Além disso, os dados são criptografados. Isso significa que o acesso às informações só é obtido por meio de autorização. No entanto, há outros aspectos a considerar. Um deles é o fornecedor, que deve apresentar qualificações em data center e cloud computing.

Em resumo, a segurança no data center depende da equipe de TI que toma conta dessa questão. Isso deixa o sistema suscetível a hackers — nesse caso, cabe aos profissionais evitar o ataque. Já na nuvem é mais difícil, porque existe a criptografia e, mesmo que o invasor tente executar uma ação maliciosa, ele é impedido de acessar as informações.

Perda de dados

Os servidores do data center estão sujeitos a acidentes, como os naturais, que causam queima de peças, e por uso indevido. Com isso, a chance de perder as informações é maior. Já o cloud computing diminui a possibilidade de perdas devido a falhas, justamente porque os arquivos estão distribuídos em diferentes locais do mundo.

Na prática, imagine o seguinte: um problema atinge o servidor, como um raio ou uma enchente. No data center, você precisa recuperar as informações do backup e torcer para que elas sejam a versão mais recente. No entanto, é bem possível que informações importantes sejam totalmente perdidas, já que a cópia de segurança é realizada em intervalos de tempo, que podem ser semanais, quinzenais, mensais etc.

Já no cloud computing, se o servidor sofre o mesmo problema, nada acontece com seu arquivo. O documento até pode ser perdido, mas é facilmente recuperado, porque ele está armazenado em outros locais.

Flexibilidade

O sistema dedicado oferecido pelo data center impede o compartilhamento de espaço com outra empresa. Assim, se for necessário armazenar mais dados, você precisará adquirir outros equipamentos e investir em uma equipe qualificada para manter o serviço. Também é possível terceirizar o trabalho para tentar reduzir os custos e garantir a escalabilidade.

Com o cloud computing há mais flexibilidade. É possível fazer alterações de memória a qualquer instante, assim como modificar o poder de processamento e outros aspectos necessários para o funcionamento adequado do negócio. Isso ocorre sem burocracias, de maneira simples e rápida.

Custos

Esse critério é um ponto determinante. Os gastos com o data center são elevados, porque é preciso manter servidor, profissionais e softwares, além de pagar a conta de energia e realizar treinamentos e capacitações para qualificar os colaboradores.

Com o cloud computing é diferente. A equipe é muito menor e atua como ponto de contato entre a empresa e o prestador de serviço. Além disso, como garante a escalabilidade, sua empresa paga apenas os serviços que usa e, se precisar aumentar o acesso às funcionalidades, a cobrança é proporcional.

Em suma, as duas opções são interessantes, mas é importante pensar o que atende melhor às demandas da sua empresa. Assim que você determinar o que vale a pena, se é o data center ou o cloud computing, você pode ter uma infraestrutura apropriada para seu negócio.

O que achou deste conteúdo? Se gostou, compartilhe-o nas suas redes sociais e ajude outras pessoas a entender melhor as diferenças entre data center e cloud computing.