O que é Big Data e como ele torna as empresas mais competitivas?

em Soluções.

Muitas pessoas ainda têm dúvida sobre o que é Big Data e qual é a sua utilidade. Em termos básicos, ele serve para examinar grandes quantidades de dados, de modo a descobrir padrões ocultos, correlações e outros insights que possam contribuir para o sucesso da empresa.

Essa tecnologia se tornou importante especialmente com a popularização dos smartphones e das redes sociais, que elevaram rapidamente o número de registros digitais disponíveis para serem utilizados por empresas.

Com a tecnologia moderna, é possível analisar seus dados e obter informações relevantes e de forma imediata. Com isso, o Big Data contribui muito para a competitividade no mercado, trazendo diferenciais importantes diante da concorrência.

Quer saber como o Big Data pode ser utilizado pelo seu negócio e os impactos dessa tecnologia para o ambiente corporativo? Então confira o nosso texto abaixo!

Análise de dados por meio de Big Data

A análise de Big Data ajuda as organizações a analisar seus dados, transformando-os em informação relevante para identificar novas oportunidades.

Mas, ao contrário da análise de dados comum, um número muito maior de registros (estruturados e não estruturados) podem ser utilizados para análise contínua e em tempo real.

Isso, por sua vez, leva a movimentos mais inteligentes, que tornam as empresas eficientes e competitivas. O gestor poderá considerar um número maior de fatores ao decidir quais estratégias e investimentos serão realizados no seu dia a dia. Como consequência, isso gera maiores lucros, além de dar agilidade aos processos e favorecer a satisfação do cliente.

Além disso, é baseado em premissas que permitem atender a uma das suas preocupações principais: manter seus dados com segurança. O Big Data é estruturado para que o aumento do número de registros inseridos nos processos de análise não comprometa a segurança dos usuários e a privacidade do negócio.

Vantagens obtidas com o uso de Big Data

Os benefícios do Big Data são diversos e permitem melhorias em inúmeras áreas no funcionamento das corporações, tais como:

  • rapidez na tomada de decisão: as empresas são capazes de analisar a informação imediatamente, o que confere agilidade às decisões, tomadas de forma mais célere diante das situações que assim o exigem;
  • novos produtos e serviços: pela capacidade de avaliar as necessidades do cliente por meio da análise, vem o poder para dar aos clientes exatamente o que eles esperam. Com a ampla análise dos dados, as empresas estão criando novos produtos formatados de maneira a atender às necessidades específicas de seus clientes;
  • melhor direcionamento das estratégias de marketing: prevendo tendências, o time de vendas conseguirá criar políticas de marketing que são voltadas para as demandas do mercado, ampliando o seu impacto em médio e longo prazo;
  • maior capacidade de otimizar o ambiente corporativo: o Big Data permite que o negócio consiga avaliar, em tempo real, como toda a cadeia operacional se comporta em diferentes cenários. Isso é um fator crucial para empresas que pretendem reduzir o número de erros e falhas operacionais na sua cadeia operacional, uma vez que o gestor terá uma visão abrangente sobre o funcionamento do negócio.

Setores que já utilizam o Big Data

A utilização do Big Data e o aproveitamento de todos os seus recursos e benefícios vem crescendo, não apenas em segmentos específicos do mercado, mas da forma mais abrangente possível.

Turismo

Manter os clientes satisfeitos é a chave para a indústria de turismo, e é preciso avaliá-la em tempo hábil para conseguir transformá-la em ação.

Dados que interligam serviços como hotelaria, viagens e sazonalidade das movimentações turísticas às expectativas de satisfação dos clientes podem ser obtidos facilmente por meio do Big Data.

Pela agilidade desse mercado, é imprescindível obter as análises referentes a essas informações sempre de maneira imediata, para que as empresas sejam capazes de se adaptar antes que percam novas oportunidades nas próximas estações.

Em outras palavras, para o setor de turismo, o Big Data torna estratégias mais precisas e lucrativas. A empresa conseguirá antecipar as suas movimentações e, dessa forma, atingir os resultados esperados com facilidade.

Saúde

Registros de pacientes, planos de saúde, informações sobre seguros, além de outros tipos de informações podem ser difíceis de gerir. As indústrias médica e farmacêutica precisam utilizar o Big Data para obter um grande volume de material que fomente pesquisas e desenvolvimento de novos tratamentos e tecnologias.

Ao analisar rapidamente grandes quantidades de informação, é possível desenvolver pesquisas médicas sobre diagnósticos ou novos tratamentos baseados em dados clínicos, histórico de exames, informações genéticas, entre outros.

Hoje, por exemplo, já é possível utilizar o Big Data para treinar computadores a identificar doenças de pele: analisando um grande número de imagens de sintomas físicos de uma doença, um software de TI conseguirá criar padrões para tornar o diagnóstico igual ou mais preciso do que o de um humano.

Governo

A maioria das agências governamentais enfrenta um grande desafio: diminuir o orçamento sem comprometer a qualidade e a produtividade.

Isso é particularmente problemático, visto que de maneira geral os governos contam com recursos relativamente escassos para atender às necessidades da nação, tomar iniciativas para promover o desenvolvimento econômico e o aumento do PIB e gerir setores que são verdadeiros calos em qualquer estado, como segurança pública, educação e saúde.

O Big Data confere aos governos a visão holística de dados que, em função de seu volume gigantesco, precisam de ferramentas capazes de promover um diagnóstico sistêmico e prover soluções proporcionais.

Toda a estrutura do estado será avaliada na hora de o gestor público definir as suas políticas públicas e orçamentárias. Como consequência, o número de desperdício de recursos será reduzido ao máximo, garantindo um melhor aproveitamento dos tributos.

Varejo

O serviço ao cliente tem evoluído nos últimos anos. A crescente informação dos consumidores e suas exigências mais específicas demandam o Big Data — dado que hoje toda a clientela de qualquer empresa possui mais informações, entende melhor e sabe do que precisa e quando.

Providos de quantidades infinitas de dados de programas de fidelização, hábitos de compra e outras fontes, os varejistas não só passam a ter um conhecimento profundo de seus clientes, como também podem prever tendências, recomendar novos produtos e aumentar sua lucratividade e rentabilidade.

Campanhas de e-mail marketing, por exemplo, vão atingir o resultado esperado com maior agilidade. Ao mesmo tempo, estratégias de atendimento vão conseguir criar os melhores caminhos para atender às solicitações de diferentes perfis de consumidores.

O que é Big Data e como funciona

O Big Data nada mais é que o gigantesco volume de informações — estruturadas ou não. Por meio de análises avançadas, vários tipos de tecnologia trabalham em conjunto para ajudar empresas a obter o máximo valor de suas informações.

Você não tem ideia do que o Big Data pode fazer por sua empresa? Vamos aos fatos:

Gestão de dados

Os dados precisam ser de alta qualidade e bem gerenciados antes que possam ser analisados de forma confiável, do contrário serão apenas números e letras.

Com eles constantemente fluindo dentro e fora de uma organização, é importante estabelecer processos organizados e repetitivos a fim de construir e manter padrões de qualidade.

Mineração de dados e de textos

A tecnologia de mineração de dados ajuda a analisar grandes quantidades de informações para descobrir padrões e utilizá-los em uma análise mais aprofundada, respondendo questões complexas de negócios.

Você pode vasculhar, identificar o que é relevante e usar esse conhecimento para avaliar os resultados prováveis e, em seguida, acelerar o ritmo de tomada de decisões bem-embasadas.

A mineração de texto utiliza tecnologia de processamento de linguagem natural para escanear dados em documentos, e-mails, blogs, feeds do Twitter, pesquisas, inteligência competitiva e mais, de forma a ajudá-lo a analisar grandes quantidades de informações.

Com a tecnologia de mineração de textos, é possível avaliar os textos a partir da web, em campos de comentários, livros e outras fontes, a fim de descobrir insights antes não notados.

Dados da memória

Ao analisar os dados da memória do sistema, você pode encontrar perspectivas imediatas e agir sobre eles rapidamente.

Essa tecnologia é capaz de remover a latência de processamento analítico para testar novos cenários e criar modelos; não é só uma maneira fácil de as organizações permanecerem ágeis e tomarem melhores decisões de negócios, mas também proporciona a criação de cenários de análise interativos.

Análise preditiva

A tecnologia de análise preditiva usa dados, algoritmos estatísticos e técnicas de aprendizado de máquina para identificar a probabilidade de resultados futuros com base em dados históricos.

Isso proporcionará uma melhor avaliação sobre o que ainda vai acontecer, de modo que as organizações podem se sentir mais confiantes de que estão tomando a melhor decisão possível.

Algumas das aplicações mais comuns de análise preditiva incluem a detecção de fraudes e riscos. Durante os processos de vendas de produtos ou análise de crédito, a empresa utiliza o Big Data para classificar várias ações anteriores do cliente e cruzá-las com o histórico de consumidores com o mesmo perfil. Isso ajuda a avaliar os riscos envolvidos na operação, reduzindo as chances de o negócio ter algum tipo de prejuízo.

Como aproveitar ao máximo o Big Data no seu negócio

O Big Data pode trazer um grande diferencial competitivo para o negócio. Mas, para que a análise seja eficaz, a empresa precisa criar uma estratégia clara, com objetivos bem-definidos e as soluções certas.

Assim, analistas podem aproveitar completamente os registros disponíveis para uso. Entre os quatro fatores básicos para atingir esse propósito, destacamos:

1. Tenha objetivos claros

O Big Data permite retirar vários insights de um grande conjunto de informações. Mas, para que eles sejam realmente aproveitados, a empresa deve ter objetivos claros.

Antes de começar o processo de análise, o empreendimento precisa identificar como o Big Data pode beneficiar os seus resultados. O gestor deve definir se o processo de análise será utilizado para melhorar a estrutura interna, o direcionamento das campanhas de marketing ou mesmo o atendimento ao consumidor. Assim, todas as etapas das rotinas de análise serão mais precisas e eficazes.

2. Defina o que deve ser utilizado e o que é irrelevante para a análise de dados

Para evitar que o processo de análise de dados perca performance em função de ruídos, o analista precisa eliminar tudo aquilo que não for necessário. Isso evita ruídos nas informações e reduz o tempo necessário para processá-las e analisar os seus resultados. Como consequência, os objetivos da análise de dados são atingidos rapidamente e com alta precisão.

3. Organize as informações que serão analisadas

Uma das bases do Big Data é a classificação de informações em padrões e tendências. Isso simplifica a visualização dos registros e a obtenção de insights.

Para que o negócio tenha um alto retorno com iniciativas baseadas no Big Data, os analistas precisam direcionar a classificação dos dados de acordo com os objetivos definidos pela empresa. Dessa forma, a companhia levará menos tempo para obter as informações necessárias a fim de identificar como atingir as suas metas de médio e longo prazo.

4. Tenha as ferramentas corretas

Sem que a empresa tenha as ferramentas corretas, uma estratégia de análise de dados baseada no Big Data pode ter grandes dificuldades para alcançar os seus objetivos.

É importante que o gestor invista em soluções de alta performance, capazes de coletar, armazenar, processar e possibilitar a visualização de informações com alta precisão, integridade e segurança. Assim, erros serão menos frequentes, permitindo que a empresa tenha um maior retorno sobre o seu investimento.

Tendências para o Big Data

O Big Data é um recurso que veio para ficar e tende a se expandir. O volume de informações a que todos estamos sujeitos desde o advento da era digital é sempre crescente e não dá sinais de encolher.

Dessa forma, o Big Data deve seguir trazendo inovações para permitir comportar esse tsunami de informações. Vejamos algumas:

  • cloud analytics é um modelo de serviço em que os elementos do processo de análise de dados são fornecidos por meio de uma nuvem pública ou privada, a fim de que os dados possam ser armazenados, acessados e compartilhados a qualquer momento. (Aliás, saiba que há fatores que levam as iniciativas de Cloud Computing ao fracasso, portanto, cuidado ao implementá-las);
  • Data Discovery: no contexto de TI, é o processo de extrair padrões de dados. A extração é geralmente realizada por técnicos ou, em certos casos, por sistemas de inteligência artificial;
  • Análise Preditiva: os analistas têm não só mais dados para trabalhar, mas também o poder de processamento a fim de lidar com um grande número de registros. É possível, inclusive, aumentar a previsibilidade. A combinação de dados grandes e poder computacional também permite que explorem novos dados comportamentais ao longo do dia, tais como sites visitados ou localização.

A integração do Big Data nas estratégias do negócio consegue criar uma série de vantagens estratégicas para a empresa. As decisões tomadas por gestores considerarão um número maior de fatores, o que facilita a criação de uma visão abrangente sobre diferentes aspectos do negócio.

Campanhas de marketing atingirão os resultados esperados com maior agilidade. Setores serão otimizados a partir de uma visão estratégica sobre a organização das rotinas internas. E, antecipando tendências, a empresa poderá se destacar no mercado.

Quer saber mais sobre as soluções da Locaweb Corp? Acesse nosso site!